Como cadastrar de forma correta o seu produto na sua loja virtual utilizando o Magento.

Atrair mais visitantes para seu site ou loja virtual sem precisar investir nada em mídia é o sonho e desejo de qualquer empreendedor digital. Você, com certeza, já deve ter ouvido falar sobre a necessidade de implementar corretamente técnicas de SEO (Search Engine Optimization) em seus projetos. Com estratégias bem definidas, é possível atrair tráfego qualificado e público certo para a suas páginas, considerando que os seus futuros clientes utilizam seguidamente os motores de busca para pesquisar tudo o que desejam, entre eles o bom e velho Google, Bing e outros.

No caso das lojas virtuais, o SEO tem um impacto essencial sobre as
as taxas de conversões e vendas. A partir do momento que você ajusta seu site para as boas práticas, sua loja recebe mais visitas orgânicas, atingindo assim um tráfego qualificado e potencializando os resultados e aumentando também a visibilidade da sua marca e ou negócio no mercado online.

Se você ainda não tem consciência de como é fundamental dar atenção a essas boas práticas de Seo e também investir em tecnologia melhorando sempre a experiência do visitante em seu site ou loja. Por isso, desenvolvemos esse checklist para cadastro de produtos utilizando a plataforma Magento nas versões 1.9.x e 2.x e de SEO onpage – ou seja, referente aos conteúdos de dentro da sua página de produto ou até mesmo página de conteúdo – que você deve aplicar ao seu site para conquistar as melhores posições das buscas. As dicas começam pelo mais básico até as observações mais avançadas e assertivas. Vamos começar?

1) – Defina bem suas palavras-chave.

 

Palavras chaves nos títulos dos produtos Magento - Zen Studio
 Palavras chaves nos títulos dos produtos Magento – Zen Studio

Para qualquer potencial cliente encontrar o seu produto ele vai inicialmente pesquisar por palavras chaves relacionado ao produto e ou serviço que você oferta. O SEO aplicado corretamente às lojas virtuais começa com a pesquisa de palavras-chave. Utilizá-las de maneira correta ajuda o usuário a encontrar o conteúdo do seu e-commerce no momento em que ele faz uma busca no Google.

Tenha em mente que é preciso atrair tráfego em todas as fases do seu funil de vendas. Para isso, utilize desde palavras Head Tail, mencionadas em buscas mais gerais – palavras chave mais genéricas – quando o consumidor está no começo da pesquisa, ou seja, o topo do funil (por exemplo: “ar condicionado”), até as Long Tail – palavras de cauda longa – (como “ar condicionado inverter quente/frio 9000 BTU”), quando o visitante já está mais decidido sobre o que deseja buscar.

As Head Tail costumam atrair mais visitas, mas por outro lado têm menos taxa de conversões pelo fato do consumidor ainda não estar maduro. Já as Long Tail produzem menos tráfego, mas possuem mais chances de converter pois o usuário já está mais perto da compra. Portanto, sua estratégia de SEO deve abranger ambos os tipos.

2)- Verifique os Títulos das páginas de produtos e páginas de conteúdo.

Títulos dos produtos Magento - Zen Studio
  Títulos dos produtos Magento – Zen Studio

Palavras-chave definidas, é preciso colocá-las de forma eficiente nas suas páginas, buscando que o Google entenda qual o seu assunto principal.

As TAGs situadas no título, é um dos destaques do SEO nesse sentido, por isso, é fundamental que a palavra-chave seja incluída nele. Exemplo: a página que vende ar-condicionado deve ter em seu título a palavra “ar condicionado” acompanhada da marca, modelo/referencia, capacidade e mais alguma característica importante do produto. O ideal é o título ter no máximo aproximadamente 60 caracteres, para que assim o Google não faça o corte na exibição. Utilize títulos diferentes para cada página da sua loja, sem repeti-los.

3) – Faça um Meta Description certeiro.

Meta Descriptions Magento - Zen Studio
   Meta Descriptions Magento – Zen Studio

A Meta Description tem papel importante em duas das grandes fontes de tráfego da maioria dos sites: as ferramentas de busca e as mídias sociais. É interessante saber como utilizá-la nessas duas fontes, para que ela lhe renda resultados relevantes.

A seguir, você vê como ela atua e pode impactar, separadamente:

Meta Description nas ferramentas de busca

Antes de mais nada, é preciso deixar bem claro: a Meta Description não é um fator de rankeamento. Algumas pessoas ainda fazem confusão e pensam que é, mas os profissionais de SEO já têm certeza que não é.

Meta Description nos buscadores
   Meta Description nos buscadores

 

Então quer dizer que não importa muito e posso deixar de lado? Como já dissemos anteriormente, não é o caso; você deve dar atenção sim!

Nas ferramentas de busca, mesmo que não conte como fator de rankeamento, o conteúdo da Meta Description aparece na página de resultados como um resumo logo abaixo do título da página.

Assim, um site que esteja numa posição pior pode ganhar o clique caso sua descrição seja mais atrativa. Pense comigo: não é melhor ter mais informações sobre uma página antes de clicar para acessá-la?

Outro item relevante é que se a palavra-chave pesquisada aparecer ao longo da descrição, ela estará em negrito. Dessa forma, ganha ainda mais destaque, aumentando a chance de clique. Veja abaixo um exemplo:

Na grande maioria dos casos, o Google utiliza a Meta Description na página de resultados, mas não há obrigatoriedade nisso. Ocasionalmente, o próprio buscador escolhe algum outro trecho da página e exibe como resumo. Continue lendo o post para saber como configurá-la, praticamente garantindo sua exibição.

4) – Ajuste sua estrutura de Heading tags

Estrutura de Tags H1, h2, h3
Estrutura de Tags H1, h2, h3

 

As tags de títulos H1, H2, H3 e etc., são marcações que traduzem a organização entre os títulos e intertítulos do site.

O H1 é o título principal da estrutura de um texto, está posicionado na hierarquia como a tag principal. Já o H2 e o H3 e as tags seguintes, formam os intertítulos, onde é possível destacar palavras-chave relacionadas. Por exemplo, no título H1, “Cadeiras Charles Eames” e nas tags H2 e H3 você pode usar como a “descrição do produto” e “destaques do produto” respectivamente, obedecendo uma hierarquia de informações. Resumindo, esses intertítulos podem trazer outras características do produto que o público busca.

5) – Não esqueça da tag alt das Imagens

Tag Alt nas Imagens
Tag Alt nas Imagens

 

Elas também podem ser utilizadas ao seu favor dentro do SEO, pois a busca por imagens no Google tem a capacidade de gerar tráfego. Para aproveitar esse potencial, é necessário utilizar as tags de forma adequada.

A tag “alt” dentifica o texto alternativo que aparece caso haja problemas na exibição da imagem. Portanto, vale apostar em uma descrição evidente e informativa para que o Google compreenda o conteúdo visual do arquivo. Ela também é um recurso valioso para quem possui alguma deficiência visual. Programas de leitura de páginas usam a tag “alt” para “narrar” o conteúdo da imagem para o visitante. Por isso, capriche nas descrições da sua imagem.

6) – Priorize URLs amigáveis

 

A URL amigável é uma URL mais fácil de compreender, tanto para os mecanismos de busca quanto para quem acessa o seu site.

Para uma URL ser amigável, não deve possuir caracteres especiais, espaços e acentuações. Ele tem que ser o mais clara e objetiva possível.

Este seria um exemplo de uma boa URL:

https://www.zenstudio.com.br/suporte-tecnico-magento

Url amigável

Já esta não deixa claro sobre o que a página trata, passando uma ideia pouco profissional. O mais provável é que acabe repelindo o usuário:

https://www.zenstudio.com.br/?page_id=1739

Url não amigável

 

Como posso deixar minhas URLs mais amigáveis?

Para tornar amigável uma URL, é importante seguir algumas boas práticas.

  • Ao separar as palavras, por exemplo, prefira usar hífens (-) e não outros sinais de pontuação, como pontos ou _ (underline). Isso porque o Google entende o hífen como um espaço, separando as palavras de forma adequada.
  • Prefira também as letras minúsculas, que ficam mais limpas visualmente, e não use acentos nem caracteres que não são universais, como a cedilha (ç).

Para uma URL ser amigável, ela também deve ser o mais curta possível e conter sempre a palavra-chave relacionada àquela página. Isso ajuda tanto em SEO quanto na experiência do usuário, que fica sabendo se a sua página abordará o tema que ele está pesquisando.

7) – Descreva os produtos com criatividade.

Seja Mais criativo
Seja Mais criativo

 

Agora que você já inseriu as palavras-chave no título, meta descriptionheading tags, imagens e URL, o que falta é fazer isso no próprio conteúdo da página.

Ao desenvolver o texto, use a originalidade para tornar seus produtos interessantes, engajando os usuários e mostrando ao Google um conteúdo “exclusivo”. Essa é a hora de fugir das descrições padronizadas enviadas pelo fabricante, pois se você duplicar as informações, complicará a compreensão do Google sobre qual página é a original. Além de ser ruim também pois essa descrição provavelmente será usada por várias lojas, e se você seguir essa ideia, não irá se diferenciar dos concorrentes, tendo dificuldade de alcançar um bom posicionamento nesses produtos.

Lembre-se, conteúdo relevante e original vale ouro!

8) – Aposte em conteúdo rico, original e bem feito.

Textos, imagens, detalhes técnicos, vídeos, sugestões de uso, guias de compra, demonstrações, avaliações, comparativos, perguntas e respostas. Esses são apenas alguns exemplos sobre os elementos que podem favorecer o SEO do site da sua loja.

A dica agora é: aproveite os diferentes formatos de conteúdos e deixe sua página completa.

Quanto mais informação para o cliente absorver, isso pode ser uma isca para fazer com que ele passe mais tempo na página e assim amadureça para efetivar a compra. E não há problema algum se o conteúdo ficar extenso, desde que respeite as técnicas de SEO que sugerimos aqui. Portanto, deixe de preguiça e não se limite!

9) – Aproveite a Linkagem interna

Esse é um dos principais fatores que o maior site de buscas considera para ranquear um site. Quando uma página importante se relaciona com outras páginas menos acessadas dentro do mesmo site, o Google processa que ela também é relevante.

Isso acontece quando, por exemplo, um link de produto é inserido na página inicial, na seção de “mais vendidos”. A página interna adquire assim mais relevância para o Google. Ou seja, quanto mais links de qualidade forem recebidos, mais importante ela será para aparecer nos resultados.

10) – Melhore a velocidade de carregamento

Já faz algum tempo que o Google comunicou que a velocidade de carregamento faria parte do seu algoritmo de ranqueamento, isso lá em 2010. A equipe havia notado como uma espera longa atrapalha a experiência do usuário e diminui as visitas, reduzindo assim as conversões de um site, consequentemente. Mesmo que a existência desse algoritmo seja antiga, muitos sites – incluindo as lojas da internet – ainda sofrem problemas quanto a isso.

Portanto, se o site da sua empresa ainda não está otimizado, essa á hora de consertar isso. Uma maneira de começar a corrigir essa questão é utilizando a ferramenta PageSpeed Insights, fornecida pelo próprio Google, que exibe várias sugestões de melhoria ao seu site.

A adaptação do site da sua loja aos dispositivos móveis é mais uma exigência para captar o impulso de compra, sendo necessário uma versão responsiva baseada nas dicas acima. O Google AMP (Accelerated Mobile Pages) é uma boa referência para ajudar no carregamento quase que instantâneo de sua página, otimizando a relevância. Você também pode utilizar o PageSpeed Insights, como já indicamos acima, para ter acesso às métricas e melhorias necessárias na versão mobile da sua loja.

Enfim, o SEO para e-commerce vai além do checklist que detalhamos, mas buscamos ajudar você com os principais fatores que você deve estar atento. Para você ter uma ideia, existe cerca de 200 fatores de ranqueamento que devem ser explorados para conseguir aparecer no topo das pesquisas do Google. E cada vez mais fatores devem ser critérios de influência de SEO.

Em meio a isso tudo, saiba que não existe fórmula mágica ou receita de bolo que seja aplicada a todas as lojas virtuais. Cada variação de segmento, público, localização e mix de produtos interferem na estratégia de SEO de seu e-commerce.

Entretanto, de modo geral, não esqueça que um bom trabalho de SEO deve ser focado nos interesses e hábitos do seu público-alvo para criar uma experiência boa para ele. A vantagem disso tudo é que a boa reputação que você receberá não se limita apenas aos consumidores, mas também ao maior site de buscas da internet, que colocará suas páginas em melhores posições em suas pesquisas, favorecendo as conversões.

Esperamos ter ajudado a sua loja na internet e desejamos um ótimo trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×

Olá!

Entre em contato pelo nosso WhatsApp. É fácil, rápido e geralmente respondemos na mesma hora! Ou se preferir envie um email para contato@zenstudio.com.br

× Como posso te ajudar?